Artigos do Padre

22/09/2016 - O Plano Secreto de Deus Não Cristãos

Por relacionamentos diversificados, certas comunidades estão ordenadas ao povo de Deus, porém não são cristãos.

Em primeiro lugar, os judeus que receberam a aliança e as promessas, e do qual nasceu Cristo segundo a carne. Segundo a eleição eles são muito amados.

“Eles são povo escolhido por Deus; ele os tornou seus filhos e repartiu a sua glória com eles. Deus fez suas alianças com eles e lhes deu a lei uma verdadeira maneira de adorar e as promessas” (Rm 9, 4).

O desígnio da salvação estende-se também aos que reconhecem o Criador, quer dizer, os “Muçulmanos”, que professam seguir a fé de Abraão, e conosco adoram o Deus único e misericordioso, que é o amor (1Jo 4, 16).

Deus também não está longe dos que, “em sombras e imagens”, buscam o Deus desconhecido, já que a todos dá vida, alento e tudo o mais.

Paulo pregou em Atenas:

“É Ele mesmo que dá a todos vida, respiração e tudo mais” (At 17, 25)

Não negamos a divina Providência e os auxílios necessários à salvação dos “Hindus”, que sem culpa, não chegaram ainda ao conhecimento explícito de Deus e se esforçam, não sem o auxílio da graça, por levar uma vida reta.

Mas, demasiadas vezes, os homens desorientam-se em seus pensamentos e trocam a verdade de Deus pela mentira, servindo à criatura de preferência ao Criador. “Eles trocam a verdade sobre Deus pela mentira e adoram e servem as coisas que Deus criou, em vez de adorarem e servirem o próprio Criador, que deve ser louvado para sempre”(Rm 1, 25).

Jesus foi enviado pelo Pai. O Filho também enviou os Apóstolos dizendo: “Ide, pois, ensinai todas as gentes, batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinai-as a observar tudo aquilo que vos mandei. Eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mt 28, 18-20).

Somos impelidos pelo Espírito Santo a cooperar para que o desígnio de Deus, que fez de Cristo o princípio de salvação para o mundo inteiro, se realize plenamente. Pregando o Evangelho, nos atraímos os ouvintes a crer e a confessar a fé e libertarmos da escravidão do erro e incorporando a Cristo, a fim de que em Cristo cresçam, pela caridade, até a plenitude.

Oremos e trabalhemos para que toda a humanidade se transforme em povo de Deus, Corpo do Senhor e Templo do Espírito Santo. Em Cristo, Cabeça de todos, se dê ao Pai e Criador de todas as coisas toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.