Artigos do Padre

17/02/2017 - O menino texano, padre brasileiro, jesuíta do mundo

“Eu sou jesúita. Minha missão é levar a palavra e a obra para onde quer que eu vá”, destaca o Padre Haroldo Rahm.
Prestes a completar 98 anos, o sacerdote aposta que o segredo da longevidade é ter uma dieta saudável, meditar, praticar exercícios físicos e ter uma boa noite de sono. “Acordo às 4 h da manhã e pratico yoga há mais de 30 anos”, comentou.
A disposição e alegria, que chamam a atenção de quem o conhece, são suas principais características, assim como seu português, carregado de sotaque texano, herança marcante de sua terra natal.
Estando no Brasil há mais de meio século, ressalta que sempre quis trabalhar com pobres e encontrou aqui a possibilidade de realizar seus propósitos. Na década de 60 foi enviado para treinar 30 padres jesuítas para atuar no Brasil e inicou aqui o Cursilho da Cristandade. “Escrevi uma tese para meu superior nos EUA, falando de tudo que era necessário e me voluntariei para o trabalho. Com isso, decidi ficar aqui”, relembra.


Desde então, este missionário iniciou diversos projetos de atenção à população em vulnerabilidade social, ganhou prêmios de reconhecimento internacional por seu trabalho e faz questão de ressaltar a importância das contribuições que recebeu. “Muita gente me ajudou e tudo isto nos levou além. Com tanta dedicação pudemos ajudar muitas pessoas na obra e levar este modelo de trabalho para o exterior, como por exemplo em Buenos Aires, onde fundamos a primeira Comunidade Terapêutica, na Argentina”, conclui sorridente.