Artigos do Padre

30/09/2017 - TODOS
Em todos os meus projetos tento viver como em Lumem Gentium do Consilium Vaticano II “16”(1964), em Roma, está escrito: igualdade espiritual em ecumenismo dos cristãos, pluralismo para todas as religiões e de teísmo e ateísmo.
 
O Espírito suscita em todos os discípulos de Cristo o desejo e a prática efetiva em vista de que todos, segundo o modo estabelecido por Cristo, que todos os CRENTES se unam pacificamente num só rebanho sob um só pastor. Nossa mãe a Igreja não deixa de orar, esperar e agir para alcançar o Espírito, e exorta seus filhos a que se purifiquem e se renovem para que o sinal de Cristo brilhe mais claramente no rosto da Igreja de todas as maneiras.
 
Em primeiro lugar, aquele povo JUDEU que recebeu a aliança: “Eles que são israelitas, a quem pertencem a adoção, a glória, as alianças, a lei, o culto, as promessas e os pais, eles enfim dos quais, segundo a carne, descende o Cristo, que está acima de tudo, Deus bendito eternamente. Amém” (Rm 9, 4). Povo que segundo a eleição é muito amado, por causa dos patriarcas, já que os dons e o chamamento de Deus são sem arrependimento.
 
Mas o desígnio da salvação estende-se também aos que reconhecem o Criador, entre os quais vêm em primeiro lugar os MUÇULMANOS, que professam seguir a fé de Abraão, e conosco adoram o Deus único e misericordioso, que julgará os homens no último dia.

Mas Deus também não está longe dos que, em sombras e imagens, TEÍSTAS buscam o Deus desconhecido, já que a todos dá vida, alento e tudo o mais: “O Deus que criou o universo e tudo o que nele se encontra, ele que é o Senhor do céu e da terra, não habita templos construídos pela mão dos homens e o seu serviço tampouco exige mãos humanas, como se ele carecesse de alguma coisa, pois ele dá a todos a vida e a respiração e tudo o mais” (At 17, 24-25). E, a vontade do Salvador e: “Eis o que é bom e agradável aos olhos de Deus, nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade. Pois há um só Deus e também um só mediador entre Deus e os homens, um homem: Cristo Jesus, que se entregou como resgate por TODOS” (1Tm 2, 3-6). Com efeito, os que, ignorando sem culpa o Evangelho de Cristo e sua Igreja, contudo procuram a Deus com coração sincero e se esforçam, sob o influxo da graça para cumprir sua vontade, conhecida pelo ditame da consciência, também eles podem alcançar a salvação eterna.
 
Também não nega a divina Providência os auxílios necessários à salvação aos que, sem culpa, não chegaram ainda ao conhecimento explícito de Deus (os ATEÍSTAS) e se esforçam, não sem o auxílio da graça, por levar uma vida reta. Tudo quanto de bom e verdadeiro neles há, é considerado pela Igreja como preparação para o Evangelho e dado por Aquele que ilumina todos os homens, para que possuam finalmente a vida.