Artigos do Padre

28/03/2016 - Artigo do Padre Haroldo - Maconha Medicinal

“Uma família tinha 2 filhos gêmeos que só se diferenciavam pelo fato de um falar e o outro não.
Um dia o pai resolveu levar ao santuário de Lourdes o filho que não falava. Quando o menino entrou na piscina considerada milagrosa soltou um palavrão, pois a água estava bem fria. O pai, imediatamente, telefonou à mãe e lhe disse:
- Milagre! O nosso filho está falando!
Ao que a mãe respondeu:
- Claro, você levou o menino que fala e deixou o mudo comigo!”

Estamos a favor ou contra?

Todos nós tivemos um amor que foi vítima das drogas, incluindo da maconha. Nós somos rápidos em condenar o uso de produtos à base de maconha que são aprovados pela Food and Drugs Administration, como todas as drogas devem ser. A História está repleta de exemplos de produtos feitos com plantas prejudiciais através de um cuidadoso processo para extrair um medicamento útil. A árvore yew (teixo) tem componentes mortais mas, segundo a ciência, produziu o medicamento Taxol, usado para tratar pacientes com câncer de mama. A árvore salgueiro produz aspirina. E não se esqueça da penicilina.
Existe um medicamento derivado da maconha aprovado pela FDA – Marinol, um medicamento que pode ser usado para náuseas causadas pelo tratamento de câncer. Contudo, quem apóia a legalização diz que o Marinol não é suficiente para tratar uma variedade de outras doenças que precisam de ajuda.

Muitas outras plantas que são perigosas e mesmo venenosas são purificadas e usadas como medicamentos. Não somos contra a maconha medicinal. Somos contra a maconha usada para lazer.

O abuso de substâncias segue um padrão previsível na ordem de consumo: cigarro, maconha e drogas pesadas.

Nossa preocupação é com os resultados do abuso de substâncias. Nós vemos famílias dilaceradas e destruídas. Vemos episódios de psicose, paranóia e outros problemas.

Vemos que a legalização da maconha medicinal tem um lado negativo: Um jovem de 18 anos vai a uma farmácia com enxaqueca, consegue uma receita para maconha medicinal e dá para seus colegas de 17 ou 16 anos de idade.

Sobretudo estamos preocupados com as crianças sendo encorajadas a usar maconha com a mobilização pela legalização, que pode destruir os jovens levando-os a fumá-la em vez de ficar longe dela.

“Um pouco de misericórdia torna o mundo menos insensível e mais justo.”

Devemos amar aqueles que estão a favor e aqueles que estão contra a legalização da maconha medicinal!
“Deus Onipotente, assim como me ajudas a manter aberto o coração, auxilia-me a manter aberta a mente.”