Notícias

01/07/2017 - Fumec realiza formatura de residentes do Instituto

A Fumec (Fundação Municipal para Educação Comunitária) realizou em 03 de julho, a Formatura dos alunos residentes do Instituto Padre Haroldo. Ao todo, 10 residentes receberam o diploma de Ensino Fundamental 1, sendo 9 homens e 1 mulher, com idades entre 35 e 66 anos.
A formatura foi acompanhada por cerca de 120 convidados e teve mesa formada por Beto Sdoia, presidente da entidade, Juliano Santos, gestor do Programa de Recuperação, Darci da Silva, diretora executiva da Fumec, Marinalva Imaculada Cuzin, gestora dos Programas de Educação de Jovens e Adultos, Ana Paula Lourençano Braz, diretora educacional da regional Fumec Leste, José Batista de Carvalho Filho, coordenador do Centro de Educação Profissional de Campinas, Luiz Carlos Rossini, vereador do município e o aluno José Vanderlei Ferrari, orador da turma que representou os formandos.


Para a formanda, hoje residente da Comunidade Terapêutica Feminina, Paola Machado, poder estudar durante o tratamento é um diferencial. “Para mim está sendo ótimo. Parei de estudar com 15 anos e esta oportunidade de retomar meus estudos me fez entender que posso seguir em frente, continuar estudando e até mesmo entrar em uma faculdade”, reflete.
Segundo Kethleen Romeiro, professora dos residentes, os alunos recebem aulas diárias de português, matemática, história, geografia, ciências, arte e conhecimentos gerais. “Partimos das experiências dos alunos, do conhecimento de vida deles e adequamos os conteúdos, sendo que cada aluno está em um nível diferente. Trabalhamos por grupo de saberes, em que os professores são mediadores destes saberes”, acrescentou.

O Processo
Os residentes que participam do programa da Fumec no Instituto Padre Haroldo realizam uma prova antes de entrar, apenas para que seja avaliado o nível de estudo em que o aluno encontra-se e as abordagens necessárias para cada aluno durante os estudos.
“Quando percebemos que o aluno está pronto, caminhou, aprendeu, aplicamos outra prova para garantir que o aluno domina os conteúdos mínimos para caminhar para o 6º ano, ainda dentro do Ensino Fundamental”, esclarece Kethleen.
“Percebemos que a autoestima dos alunos aumenta muito quando descobrem o gosto para aprender e assim eles retornam aos estudos reassumindo seus papéis na sociedade”, conclui.